Chocolate pode prevenir o derrame cerebral

19 08 2010

O chocolate amargo é o único que promove uma redução da pressão arterial


Existem vários tipos de chocolate: branco, ao leite, meio amargo e amargo. O chocolate amargo é aquele com alto teor de sementes de cacau, a qual é rica em flavanóides. Este tipo de chocolate promove uma redução da pressão arterial.

Entretanto, devido ao pequeno porte dos estudos relacionados ao assunto, não há ainda um consenso para a sua recomendação no tratamento da hipertensão arterial, conhecida popularmente como pressão alta.

Uma nova revisão de estudos aponta que o maior consumo de chocolate pode relacionar-se a um risco menor de derrame cerebral, bem com, uma possibilidade menor de morte por esta doença.O derrame cerebral é principal causa de morte no Brasil, e a hipertensão arterial descontrolada é o seu principal fator de risco.

Os resultados de 2 estudos evidenciaram, respectivamente, uma redução de 22% no risco de derrame cerebral naqueles que consumiram uma porção de chocolate por semana e uma redução de 46% na mortalidade por derrame cerebral através do consumo semanal de flavonóides contidos em 50 gramas de chocolate, quando comparado com nenhum consumo.

Entretanto, o número de estudos observando esta associação foi pequeno.”Precisamos de mais estudos que identifiquem especificamente o tipo e a quantidade de chocolate, incluindo a quantidade de flavonóides incluída na composição do chocolate, para fazer conclusões mais válidas”, disse o Dr.Gustavo Saposnik, autor da revisão e médico do St. Michaels Hospital e da Universidade de Toronto (Canadá).

Fonte: American Academy of Neurology – Portal do Coração

Anúncios




Tudo que você queria perguntar sobre chocolate

19 05 2010

Por Tata Azevedo

O chocolate pode causar acne?

Não existe nada comprovado em termos científicos que comprove o fato.

Quais os nutrientes do chocolate?

Os mineirais cálcio, magnésio, potássio e as vitaminas A, B1, B2, C, D e F.

O chocolate diet é menos calórico?

Esse não contém açucar, porém contém mais gordura e a mesma quantidade de calorias que o chocolate normal.

Quais as desvantagens do chocolate?

Em uma barra de 100g tem cerca de 500 calorias. Consuma com moderação!

O que acontece quando alguém tem enxaqueca come chocolate?

Pode desencadear uma crise.

Qual os efeitos do chocolate sobre o humor?

Confira no post, Chocolate Combate o Stress -> https://chocolatraa.wordpress.com/2010/05/07/406/

Entrevista realizada com o Dr.Fellipo Pedrinola pela revista Menu.





Chocolate combate o stress

7 05 2010

Por Tata Azevedo

Uma pesquisa publicada pelo periódico científico Journal of Proteome Research demonstra que o chocolate amargo reduz os níveis dos hormônios do estresse (ex: corticóide, adrenalina) em indivíduos que se sentem muito estressados. Os voluntários do estudo consumiram 40g diários de chocolate com teor de cacau de 74% por duas semanas.

E por que o chocolate tem esse poder de reduzir o estresse? O chocolate, especialmente o amargo, tem propriedades que fazem nosso cérebro apaixonar-se facilmente por ele. É um alimento com alto teor de carboidrato e gordura, com grande poder de estimular nossos centros cerebrais relacionados ao prazer e à sensação de nos sentirmos recompensados. Contém ainda farta concentração de substâncias chamadas de aminas biogênicas (ex: teobromina, feniletilamina, cafeína e tiramina), que também têm alto poder de estimular nossos centros de recompensa, assim como a liberação de neurotransmissores, como dopamina, serotonina e endorfina. O chocolate possui outras substâncias que podem estar associadas ao prazer: triptofano que é precursor do neurotransmissor serotonina e a anandamida que se liga aos mesmos receptores em que a maconha exerce seus efeitos no cérebro. O chocolate ainda faz com que a anandamida produzida pelo nosso próprio cérebro tenha efeito mais duradouro.

Mas os efeitos vão muito além do prazer e da redução do estresse. Sabemos hoje que o consumo de chocolate amargo promove uma série de outros efeitos benéficos ao nosso corpo pelo seu alto teor de flavonóides, as mesmas substâncias que fazem a boa fama dos chás, frutas e verduras. Entre os inúmeros bons efeitos já descritos temos: 1) aumento dos níveis de óxido nítrico, considerado um dos principais combustíveis para a saúde dos nossos vasos sanguíneos; 2) redução da agregação das plaquetas, ação que é igual à da aspirina; 3) aumento dos níveis do HDL – nosso colesterol bom – entre outras ações antioxidantes; 4) redução de marcadores de inflamação – lembrando que aterosclerose é igual a inflamação; 5) redução da resistência à insulina, facilitando sua ação nas células; 6) aumento do fluxo sanguíneo periférico (nos membros) e nas artérias do coração; 7) redução da pressão arterial; aumento do fluxo sanguíneo cerebral e/ou atividade neuronal durante uma tarefa cognitiva. E os efeitos chegam até à pele, com aumento de sua microcirculação sanguínea e maior nível de fotoproteção.

Vale lembrar que não é fácil adaptar 50-100g de chocolate diários em nosso cardápio devido ao seu alto valor calórico. A boa notícia é que muitos estudos revelaram efeitos positivos do chocolate amargo mesmo em baixas doses, como um a dois quadradinhos por dia.

Fonte: Ricardo Teixeira é Doutor em Neurologia pela Unicamp. Atualmente, dirige o Instituto do Cérebro de Brasília (ICB) e dedica-se ao jornalismo científico em saúde. É também titular do Blog “ConsCiência no Dia-a-Dia” – http://www.consciencianodiaadia.com.br